Variedades bem floridas – Revista Natureza

Desenvolvidas por melhoramento genético, essas plantas tradicionais ficaram com flores ainda mais vibrantes

TEXTO GABI BASTOS | FOTOS VALÉRIO ROHMAN

Mesmo no inverno, é possível encher o jardim de muitas cores. Todos os anos, empresas especializadas em desenvolver variedades de plantas divulgam suas novidades, geralmente mais resistentes a pragas e doenças, mais compactas, bem formadas e com flores de variadas tonalidades. E o melhor: permanecem abertas ou brotando
por mais tempo.

É o caso de algumas herbáceas lançadas no decorrer dos últimos oito anos pela empresa japonesa Sakata. Destacam-se bocas-de-leão, mini-amores-perfeitos e sapatinhosde-vênus com flores brilhantes ou multicoloridas que surgem no inverno. Todas ideais para o jardim ou decoração de interiores. Confira.

BOCA-DE-LEÃO-ANÃ (Antirrhinum majus ‘Extra Early’)

Cultivadas em forma de maciço, como forração ou bordando caminhos, as bocas-de-leão colorem o jardim com muita graça. Suas flores surgem em grande quantidade no alto de hastes e são tubulares com dois lábios característicos, que se abrem com um leve aperto dos dedos.

A espécie típica é nativa da região mediterrânea e atinge até 70 cm de altura. Essa, batizada de boca-de-leão-anã‘Extra Early’, além de ser mais baixa – atinge cerca de 15 cm –, tem as vantagens de ser levemente perfumada e florescer rapidamente – apenas nove semanas após o plantio. Suas flores são brilhantes e podem ser encontradas em 15 opções de cores: branco, rosa, vermelho, amarelo… e até bicolores. A que mistura laranja com amarelo recebeu o selo Fleuroselect – premiação internacional concedida para as plantas novas de melhor performance.

No cultivo, a planta precisa de local que receba ao menos quatro horas de sol por dia e seja preparado com solo rico em composto orgânico. Para cultivar a boca-de-leão em vasos, a assistente técnica de desenvolvimento de flores da Sakata, Márcia Kobori, tem uma dica. “Pode o ápice da haste floral no início da formação do botão . Dessa maneira, as três hastes florais surgem e florescem ao mesmo tempo”, explica.

Há diversas variedades da boca-de-leão-anã, que vão do branco ao amarelo, passando pelo vermelho e rosa,
à mistura de dois ou mais tons.

MINI-AMOR-PERFEITO (Viola cornuta ‘Venus’, ‘Splendid’ e ‘Gemini’)

Ornamentais e de aspecto delicado, os mini-amores-perfeitos compõem belos maciços em canteiros ou em

A ‘Vênus’ oferece oito cores, entre elas branca, lavanda e preta

jardineiras e vasos. Suas flores de formato bem característico – três pétalas pequenas na metade inferior e duas pouco maiores na superior – podem ser encontradas numa gama variada de cores, conforme a variedade. A vantagem das três aqui apresentadas é florescer praticamente o ano todo em regiões de clima ameno. Em regiões de clima um pouco mais quente, as flores surgem do inverno até o início do verão. O hábito de crescimento e a altura também variam um pouco.

Cultivada no Brasil há três anos, a variedade ‘Vênus’, atinge no máximo 15 cm e pode ser encontrada com flores em oito tonalidades, entre elas: amarela, lavanda e a exótica preta. A variedade ‘Splendid’ é a mais compacta – atinge até 8 cm – e apresenta o hábito de se esparramar no canteiro. Suas flores podem ser amarelas, brancas ou roxas manchadas de amarelo. E a variedade ‘Gemini’, que atinge 18 cm, apresenta na mesma planta flores bi ou tricolores, sempre numa mistura de roxo, branco e amarelo.

Todas podem ser cultivadas sob sol pleno ou meia-sombra. Precisam de espaçamento de 20 cm entre si para fechar mais rapidamente o canteiro. “Prepare o solo com adubo orgânico e regue em dias alternados com pouca água, que elas deixarão o jardim colorido por um bom tempo”, diz Márcia Kobori.

Contamos até com uma variedade de cor preta

SAPATINHO-DE-VÊNUS (Calceolaria herbeohybrida ‘Dainty’)

Devido ao formato exótico de suas flores, que parecem pequenas bolsas, essa herbácea nativa do Chile foi muito utilizada na decoração de interiores na década de 1970. “Depois ficou meio esquecida porque é muito sensível ao calor. Mas quando o inverno tem temperaturas amenas, como o de 2009, a planta volta a ser cultivada”, diz a técnica da Sakata Márcia Kobori.

Essa variedade de sapatinho, batizada de ‘Dainty’, não é tão novidade no mercado. No Brasil, começou a ser cultivada há cerca de oito anos. Mas suas flores de colorido quente – amarelas, vermelhas, laranja ou bicolores – voltaram a chamar a atenção nos garden centers do Sul e do Sudeste do país.

A herbácea atinge menos da metade do tamanho da espécie típica, cerca de 15 cm, e pode decorar varandas ou ambientes internos da casa, sob luz difusa. Na manutenção, dois cuidados são importantes: nunca molhar as flores, só o substrato, e retirar as flores murchas para que elas não fiquem doentes e contaminem as demais.

Com 15 cm de altura, os novos sapatinhos apresentam flores amarelas, vermelhas, laranja, mescladas ou pontilhadas

Ler mais…

Deixar um comentario

Faça um orçamento!