Pequeno e funcional – Revista Natureza

Graças a um caprichado projeto de Alex Hanazaki, o jardim ganhou muitas soluções de lazer

POR CHRISTIANE FENYÖ | FOTOS VALERIO ROMAHN

O espaço nos fundos da casa não era dos maiores: apenas 108 m², mas a família queria usá-lo para múltiplas atividades. Uma piscina, um solário e uma área para refeições eram essenciais. Com criatividade, o arquiteto paisagista Alex Hanazaki conseguiu inserir todos esses elementos no projeto. “Só tive que substituir a piscina por um spa, pois o espaço era muito pequeno”, conta o profissional.

O ponto de partida do projeto foi o posicionamento da mesa de refeições e do spa. A mesa foi colocada diante do espaço gourmet, para facilitar o trabalho na hora de servir os alimentos. Já o spa está diante da varanda, em um deque de cruzetas, o mesmo material usado nos caminhos do jardim.

As plantas apresentam diferentes alturas, texturas e volumes, para despertar sensações nos visitantes. A jabuticabeira aguça o paladar; as gardênias, quando floridas, exalam um agradável perfume; e as tamareiras-de-jardim criam uma leve sensação de bosque.

ESPAÇO PARA RELAXAR

Diante da falta de espaço para construir uma piscina, Hanazaki optou por instalar um spa Versatti. “A vantagem é
que ele pode ser usado para refrescar no verão e para aquecer no inverno”, explica. A peça foi instalada em um deque de cruzetas, próximo a uma parede forrada por bambu-variegado (1). Junto ao spa estão duas espreguiçadeiras, para quem quiser tomar sol.

A mesa foi feita sob medida para abrigar a jabuticabeira

PAREDES BEM APROVEITADAS

Em pequenos espaços, é essencial aproveitar as paredes na hora de compor o jardim e os ambientes. Para criar umpano de fundo verde, Hanazaki plantou junto a elas espécies altas e com crescimento bem vertical. Foram usadas plantas como como o bambu-variegado (Bambusa metake ‘Variegata’) (1) e rododendros (Rhododendron thomsonii) (2), que apresentam texturas bem diferentes e trazem movimento ao ambiente.

Já a parede junto à mesa de refeições recebeu duas cascatas em pedra green-stone separadas por um painel de madeira itaúba. “Além de embelezar o ambiente, elas trazem o agradável som da água”, diz Hanazaki. O painel de madeira itaúba funciona como um prolongamento da mesa, formando um caminho, já que apresenta o mesmo desenho. O caminho começa no pé da mesa, segue pelo tampo e termina no topo do muro.

A mesa de madeira é um atrativo à parte. Feita sob medida com madeira itaúba, ela apresenta um buraco em uma das pontas para acomodar uma jabuticabeira adulta (Myrciaria cauliflora) (3). “Quem olha pensa que a árvore já estava aí há muito tempo, mas ela foi plantada junto com o restante do jardim”, conta o arquiteto paisagista.

JARDIM EM CAMADAS

Um recurso que ajuda a quebrar a monotonia do jardim é o uso de plantas com alturas diferentes. Nesse, foram criados três patamares distintos. As plantas mais altas são as tamareirasde-jardim (Phoenix roebelenii) (4) da parte central do jardim. Elas trazem presas ao tronco orquídeas chuva-deouro e falaenópolis (5). No segundo nível estão as plantas junto ao muro, que formam o pano de fundo. O terceiro é composto por gardênias (Gardenia augusta) (6), íris-da-praia (Neomarica caerulea) (7) e agapantos (Agapanthus africanus) (8).

detalhe da florada das gardênias e das íris-da-praia

JARDIM VERTICAL

O corredor próximo à churrasqueira foi outra área que mereceu atenção. Como o espaço era restrito, Hanazaki optou por criar um jardim vertical. Placas de fibra de coco foram fixadas nas paredes e receberam plantas de sombra como chifres-deveado (Platycerium bifurcatum) (1), peperômias (Peperomia scandens ‘Variegata’) (2) e cipó-uva (Cissus rhombiolia) (3), formando uma miscelânea. No chão, o arremate é feito pelos antúrios (Anthurium andraeanum) (4), plantados em dois canteiros que ladeiam o corredor.

Ler mais…

Deixar um comentario

Faça um orçamento!